Dicas para o transporte de animais no táxi

Você permite o transporte de animais no seu táxi?

Se a sua resposta for “não”, é melhor repensar um pouco o seu posicionamento e passar a enxergar esse serviço adicional como um diferencial de mercado, além do benefício de que poderá desfrutar de clientes fiéis. Se a sua resposta for “sim”, então esse texto é para você.

A seguir, apresentaremos algumas dicas para que você possa incluir o transporte de animais no seu menu de serviços como taxista.

Transporte de animais no táxi: recomendações importantes

É muito comum encontrar taxistas que têm clientes fiéis aos seus serviços justamente pela atenção especial que esses profissionais dão ao passageiro, permitindo o transporte de cães e gatos de estimação, por exemplo.

É preciso compreender que muitas pessoas têm por seus animais de estimação o mesmo carinho e estima que têm por pessoas queridas da família. Como consequência, recusar o transporte do dono como o seu respectivo animal significa perda da corrida e, mais do que isso, possivelmente a perda do cliente para sempre.

Embora transportar animais seja um diferencial que pode trazer clientes especiais para o taxista, é preciso estar preparado para que o translado seja feito com tranquilidade e sem nenhuma surpresa desagradável pelo caminho.

E se o animal defecar? E se ele urinar em seu banco? E se as patas estiverem sujas? E se os animais vomitarem ao longo do trajeto? E se o odor dos animais permanecer no carro?

Todas essas questões levam muitos motoristas a desistir dessa possibilidade, já que não querem ter esse tipo de problema.

No entanto, tudo isso pode ser prevenido com algumas ações bem simples:

• Tenha sempre um saquinho e lenços de papel à disposição para o caso de fezes ou vômitos;• Tenha sempre algum produto para o desodor do ar do ambiente, para aplicar após a viagem;• Deixe guardada uma capa apropriada, e use-a no banco traseiro para proteger o estofado, uma vez que os animais devem ser transportados no banco de trás.

Com essas ações, a viagem certamente será tranquila.

A regra de ouro para o transporte de animais no táxi

O mais importante de tudo: tenha em seu coração a boa intenção e o carinho com o animal. Seja gentil com ele como você é com seu cliente! O resto do bom atendimento será decorrência disso.

Se for um animal de grande porte, ajude-o a sair do carro. Quem sabe você não faz uma nova amizade? 🙂

Lembre-se: você está transportando vidas, independente de qualquer coisa.

A seguir, vamos analisar alguns pontos do Código de Trânsito Brasileiro a respeito do transporte de animais.

O transporte de animais e o Código de Trânsito

No Código de Trânsito Brasileiro encontramos alguns pontos importantes sobre o transporte de animais de estimação em veículos.

É importante ressaltar o óbvio algumas vezes: nem pensar em transportá-los em partes externas do veículo. Questão de segurança. Além disso, carregar animais nessas condições é infração de trânsito.

Também é infração dirigir com o animal no banco do carona ou entre as pernas e braços.

O motivo dessa proibição é bem claro: evitar que o motorista perca a atenção, dirija sem as mãos no volante e tenha dificuldades em controlar o carro. Isso tudo pode provocar acidentes.

No Código de Trânsito não existe nenhuma especificação quanto ao uso de cinto para os animais no interior dos veículos. Especialistas em saúde animal divergem sobre a forma de utilizar cintos especiais. No entanto, caixas de transporte são recomendadas e muitos passageiros levam consigo. Nesse sentido, não cabe ao taxista solicitar ao passageiro a caixa de transporte, já que isso pode parecer antipático. Forre o banco de trás e bola pra frente.

Observe que, com alguns cuidados, o transporte de animais no táxi não tem grandes complicações. A verdade é que os seus benefícios costumam ser bem maiores do que eventuais problemas.