Convênios com empresas nas centrais de táxi

Algumas empresas firmam convênios com as centrais de táxi para que seus funcionários possam solicitar táxi em deslocamentos relativos ao trabalho, sem que, para isso, eles tenham de realizar pagamentos a motorista de seu próprio bolso.

Esse tipo de relação contratual oferece vantagens para a empresa conveniada, que passa a contar com comodidade em ter o serviço à disposição sempre que necessário, além do pagamento das corridas após fechamento do mês ou
quinzena, permitindo maior controle de suas demandas.

Nesse artigo, vamos mostrar as vantagens desse tipo de contrato e dicas para lidar com as dificuldades inerentes a esse modelo, como a antecipação de recebíveis para os taxistas e os riscos de inadimplência das empresas.

As vantagens dos contratos corporativos para as empresas conveniadas

As centrais que dispõem de alta tecnologia podem oferecer o que a maioria das empresas do mercado desejam:

  1. Malha de Abrangência Nacional: por meio de transbordo, é possível que centrais de táxi locais realizem parcerias entre si, em âmbito nacional. Isso tudo de maneira transparente para o cliente, sem complicações, que solicita o carro normalmente em um único aplicativo, em qualquer cidade em que haja frota parceira.
  2. Painel de Controle: é importante controlar orçamento em empresas, e os gastos com táxi não fogem ao padrão. Gestores das empresas querem ter controle, configurar centros de custos, horários e quais funcionários podem pedir carro pela empresa. Querem acompanhar os gastos detalhadamente, focando na redução de custos e de fraudes.
  3. Aplicativos para Smartphone: hoje o mundo é digital, muitos passageiros só pedem táxi por meio de aplicativos. É conveniente. Eles querem solicitar o carro e ver quanto tempo, de fato, o motorista vai demorar para chegar.

Estamos falando de aplicativos personalizados com a marca da Central de Táxi, e que são utilizados pelas empresas clientes.

Além desse aspecto tecnológico, pequenas, médias e grandes empresas querem serviço de qualidade. De certo modo, podemos dizer: quanto maior a empresa, maiores as exigências. Mais altos os requisitos de qualidade.

Assim, é necessário que as centrais gerenciem bem sua frota de motoristas, cuidando atentamente para qualidade da prestação do serviço.
Se, de um lado, os contratos corporativos com as centrais de táxi são vantajosos para a empresa, será que identificamos benefícios semelhantes para as centrais e para os taxistas associados? Nas linhas a seguir, vamos analisar melhor as vantagens e dificuldades desses acordos.

As vantagens dos contratos corporativos para as centrais de táxi e seus associados

Esse tipo de acordo costuma ser muito bem visto pelas centrais de táxi e pelos taxistas. Os motivos para essa visão positiva são:

  • Segurança: são corridas em que são transportados funcionários de empresas, previamente identificados, o que traz menores riscos ao taxista profissional, considerando-se a integridade física, por exemplo.
  • Aumento de Corridas: dependendo do tamanho da empresa, o contrato traz ótima demanda de serviços. São mais corridas para os motoristas, e com a excelente característica de recorrência mensal.
  • Receita com Previsibilidade: é uma clara vantagem o fato de esses contratos serem mais duradouros, o que permite previsão de uma receita mensal oriunda desses clientes.
  • Relacionamento: outro grande benefício do contrato corporativo está na possibilidade de prestar bom serviço e construir bom relacionamento no mercado, atraindo novos clientes para a carteira, inclusive passageiro pessoa física.
  • Taxa de administração: algumas centrais de táxi cobram taxa de administração do contrato, pelas facilidades de controle, além da eliminação de papel, oferecidas a empresa conveniadas, por exemplo. No entanto, por conta da crise econômica que o país atravessa, essa prática tem sido rechaçada pelo mercado e tem sido difícil sustentá-la.

Tendo estas vantagens de um lado, vamos observar as dificuldades de execução desse tipo de contrato.

As dificuldades dos convênios corporativos

Muitos contratos funcionam da seguinte maneira: os funcionários da empresa usam o serviço de táxi em determinado mês e, no fechamento desse mês, as centrais de táxi cobram as empresas pelo conjunto de corridas que fizeram no mês anterior. São as corridas faturadas.

Em muitas ocasiões, o taxista deseja receber pelas corridas que fez o mais rápido possível, mas o valor só seria, em princípio, disponibilizado quando a empresa quitar a fatura. Se a empresa for grande, o pagamento dessas corridas pode demorar.

Então imagine a possível situação: um motorista que fez uma corrida em 3 de abril, se esperar pelo pagamento da empresa, talvez só receba pela corrida no dia 25 de maio, dependendo do tamanho da empresa.

Uma vez que motorista precisa da receita o quanto antes, isso gera grande dificuldade para as centrais, que precisam providenciar algum meio para realizar essa antecipação ao motorista.

Além disso, em cenários de crise, a probabilidade da própria empresa conveniada quebrar aumenta. Isso acontecendo, é calote no pagamento do serviço de táxi prestado.

E daí vem a pergunta: como resolver esses problemas?

Ter caixa para antecipar essa movimentação mensal é difícil, e esse caminho gera problemas na escalabilidade do negócio. Mas é um caminho e algumas centrais tem fundo de caixa especificamente para esse fim.

Uma saída é colocar, legalmente, um intermediário, que antecipará o valor ao taxista e cobrará uma taxa para fazê-lo. Como garantia, o intermediário se torna detentor do crédito que o taxista tem na empresa conveniada, assumindo o risco para o caso de não pagamento pela empresa. Assim, é importante ressaltar que esses valores têm de ser justos para ambas as partes, motorista e intermediário.

Existem algumas opções no mercado que fazem essa intermediação, inclusive com diferentes opções relacionadas ao risco. Embora essa operação reduza o valor final para o taxista, ela resolve os problemas mencionados e mantém o profissional capitalizado para continuar prestando um bom serviço.

Dessa maneira, o foco deve ser na obtenção de mais contratos bons, aumentando o “bolo” e permitindo que mais gente participe do negócio.

Afinal, não é melhor ter 90% de muito do que 100% de pouco?

Depois de tudo o que vimos e analisamos até aqui, podemos concluir que os contratos corporativos entre centrais e empresas são excelente negócio para ambos os lados.

Se a sua central de táxi ainda não explora esse caminho, providencie sua plataforma tecnológica, visite consistentemente empresas e feche grandes parcerias de acordo com o que apresentamos aqui.

Isso vai garantir o crescimento e a sustentabilidade do seu negócio no longo prazo.